Mídias Sociais protegem o povo

Vejo muitos reclamarem do uso das mídias sociais. Muitos reclamam do Facebook, agora o Skype, Google +. Até do falecido Orkut.

Agora pensando a respeito das economias que usam essa ferramenta, vamos pegar os extremos. De um lado os EUA e a Europa Ocidental, de outro lado um país como o Afeganistão ou Cuba.

Bem, o modelo de sucesso em desenvolvimento humano, crescimento econômico e bem estar de seu povo parece ser mais os EUA do que o Afeganistão. Vamos pensar em nos aliar a quem tem mais sucesso e logo pensamos porque proibir o uso de mídias sociais ou barrar a internet é um modelo superado.

Pensemos todos no Afeganistão “armados” com smartphones, acesso à internet e por consequência suas redes sociais. Até onde nos deixam saber vimos que foram invadidos exclusivamente por causa do acesso ao petróleo o que foi uma afronta à sociedade civilizada. Será que se estivessem postando ¨opa, entrou alguém aqui em casa com uma arma e matou minha família¨ e ¨o pessoal tá com o uniforme dos EUA¨ isso não seria mais eficiente do que ficarem ilhados do mundo? Assim, como estão, o pessoal que invade conta a história que quer e eles não podem nem falar. Aí achamos que são malucos e diferentes mesmo e não nos importamos.

Governos, cuidado com o bloqueio à rede. Principalmente os menores (em poderio militar) e os com alguma reserva natural. Armem seu povo com Internet.

Fabio Bonadiman

 

Uma ideia sobre “Mídias Sociais protegem o povo

  1. Luiza Caumo

    Parabéns Fábio!
    As redes sociais assim como toda mídia tem um função muito importante na Democracia.
    Muito pertinente sua visão sobre a invasão do Afeganistão.
    Se quiser saber mais sobre as invasões seus motivo e consequências indico o livro “Assassinos Econômicos” de John Perkins.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *